MENU

CNM/CUT entregará pauta da categoria a pré-candidatos na próxima eleição municipal

Carta compromisso com oito pontos importantes para metalúrgicos e metalúrgicas será enviada a pré-candidatos a vereadores e prefeitos, ligados a categoria, que disputarão as eleições neste ano

Publicado: 20 Maio, 2024 - 13h13 | Última modificação: 20 Maio, 2024 - 13h17

Escrito por: Redação CNM/CUT

notice

A CNM/CUT entregará a pré-candidatos a vereadores e prefeitos ligados a categoria metalúrgica, que pretendem disputar as eleições municipais deste ano, uma carta compromisso com uma série de pontos prioritários que atendam a pauta dos metalúrgicos e metalúrgicas nas administrações dos municípios brasileiros.

Os pontos destacados são: política industrial, mulheres, juventude, saúde do trabalhador(a), igualdade racial, formação, políticas sociais e comunicação. O documento foi apresentado em encontro virtual realizado com pré-candidatos na última quarta-feira (15).

Segundo o presidente da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira, os pontos apresentados fazem parte das pautas defendidas pela entidade desde a realização do último congresso da categoria, realizado há pouco mais de um ano, por meio de suas secretarias e segmentos. 

“Queremos que os pré-candidatos avaliem o que pode ser um projeto de lei que possa vir de uma bandeira defendida pela CNM/CUT e se torne uma bandeira da candidatura. Enviaremos o documento à todos os sindicatos e pré-candidatos que são do nosso ramo e que queriam abraçar essas bandeiras importantes para a categoria metalúrgica”, disse o dirigente.

Organizar para combater a extrema direita

O secretário-geral do Partido dos Trabalhadores (PT) e ex-deputado federal Henrique Fontana fez uma avaliação da conjuntura política brasileira aos participantes do encontro e falou sobre os desafios que o terceiro governo do presidente Lula vem enfrentando. Para ele, é importante que os pré-candidatos na eleição municipal aperfeiçoem cada vez mais a unidade no campo popular de esquerda, não importando o partido ou entidade representada.

“Não será um partido ou outro, não será uma central sindical ou outra, não será uma central de movimentos populares ou outra, porque isoladamente não vai dar para enfrentar a extrema direita e todo este processo de poder que o capital detém e que se rebate sobre a vida de todos nós”, alertou Fontana.

Ele destacou que um dos principais campos a serem ocupados pela esquerda é a internet, que atualmente está dominada pela extrema direita. 

“Temos que ser militantes digitais e aprender a disputar espaço com os influenciadores de extrema direita, que continuam, por enquanto, com vantagem sobre a esquerda neste terreno. Estamos vendo a tragédia no Rio Grande do Sul e como a extrema direita está gerando o caos com várias fake news, tudo para confundir a opinião pública e desmoralizar o governo federal nas ações locais”.

Vereador da classe trabalhadora

Após a fala de Fontana, o secretário-geral da CUT Nacional, Renato Zulato, fez uma apresentação com a plataforma da CUT e da classe trabalhadora aos pré-candidatos. O sindicalista disse que é comum os pré-candidatos que saem do mundo do trabalho e vão disputar cargos na política tradicional sentirem dificuldades quando fazem essa mudança. 

“Muitas vezes a gente acha que é dirigente de uma categoria grande e que vai chegar lá na outra ponta e os trabalhadores vão votar no dirigente sindical. O que ocorre é que o trabalhador tem compromisso com os movimentos sociais lá na sua região, no seu território, tem uma vida com outros candidatos e depois a gente vai olhando as bancadas municipais, estaduais e federais a gente vê que elas crescem muito pouco na representação dos trabalhadores nestes espaços”, afirma Zulato.

Ele reforça que a mensagem dos pré-candidatos que carregam a pauta dos trabalhadores precisa ser reforçada nos territórios mais distantes do chão de fábrica, indo além do que já é feito no dia a dia.