MENU

Dia Mundial da Saúde: defender o SUS é essencial para os trabalhadores

Este 7 de abril chama a atenção para as prioridades da saúde global

Publicado: 07 Abril, 2023 - 11h03 | Última modificação: 07 Abril, 2023 - 19h21

Escrito por: Redação CNM/CUT

notice

Hoje, 7 de abril, é o Dia Mundial da Saúde. A data é celebrada desde 1950 com o objetivo de chamar a atenção para as prioridades específicas da saúde global. No Brasil, a defesa da saúde só é completa com a defesa do Sistema Único de Saúde (SUS), que garante uma política pública de saúde em todo o território nacional.

Para a secretária de saúde da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT), Maria de Jesus, só o SUS é capaz de garantir o acesso a serviços de saúde de forma integral e responder às necessidades da classe trabalhadora e comunidades que enfrentam vulnerabilidades significativas, que estão mais expostas à doença e agravos à saúde, devido a falta de ou acesso precário aos acesso a serviços de saúde de qualidade. 

“Para isso, é imprescindível que os governos monitorem as iniquidades em saúde e garantam que todos tenham acesso a serviços de qualidade quando e onde precisarem”.

A data, celebrada nesta sexta-feira, homenageia a criação da Organização Mundial da Saúde (OMS) durante a primeira Assembleia Mundial da Saúde, em 1948. A entidade global direciona e coordena o trabalho internacional de saúde por meio da colaboração, fazendo parcerias com países, o sistema das Nações Unidas, organizações internacionais, sociedade civil, fundações, academia e instituições de pesquisa.

O trabalho da OMS foi importantíssimo no esforço de coordenar a luta contra a epidemia mundial de Covid-19, vírus que causou a morte de 6,8 milhões de pessoas até o momento, sendo cerca de 700 mil somente no Brasil.

Saúde no mundo do trabalho

Segundo Maria de Jesus, o movimento sindical possui diversas bandeiras de luta para garantir o acesso à saúde como direito fundamental da classe trabalhadora brasileira. 

“Existe a luta pela promoção e proteção da saúde dos (as) trabalhadores (as) e por ambientes de trabalho seguros e saudáveis; a luta em defesa do SUS e suas políticas públicas com integralidade e qualidade para todos e todas; a luta pela implementação e fortalecimento da Política de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (PNSTT) no âmbito do SUS; pela Política Nacional de Saúde e Segurança no Trabalho (PNSST); e pela Política Nacional de Vigilância em Saúde (PNVS)”, enumera a dirigente.