MENU

FEM-CUT/SP realiza plenária estadual da Campanha Salarial 2024 em Matão

Encontro contou a presença dos sindicatos filiados à entidade e importantes figuras políticas; próximo passo será a entrega da pauta de reivindicações para as bancadas patronais

Publicado: 20 Maio, 2024 - 13h07 | Última modificação: 20 Maio, 2024 - 13h12

Escrito por: FEM-CUT/SP

Jônatas Rosa / FEM-CUT/SP
notice

A Plenária Estadual da Campanha Salarial 2024, realizada pela Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT-SP (FEM-CUT/SP), na manhã do sábado, 18, marcou a consolidação da pauta de reivindicações aprovada nas assembleias realizadas pelos 13 sindicatos filiados à entidade.

Este ano, a Campanha Salarial tem como slogan “Unidade e Luta – Vamos Conquistar a Nossa Parte”. Já os principais eixos que serão negociados com as bancadas patronais são: 1. Valorização das Convenções Coletivas; 2. Reposição da Inflação; 3. Aumento Real; 4. Redução da Jornada de Trabalho Sem Redução de Salário; e 5. Redução dos Juros.

Até o dia 5 de junho as pautas serão entregues para as bancadas patronais. Posteriormente, no dia 6, será realizado um grande ato de lançamento que promete agitar a Campanha Salarial logo no início. A atividade será realizada em Pindamonhangaba, com a presença de representantes de outros setores da indústria, como os químicos.

O presidente da FEM-CUT/SP, Erick Silva, destacou que o movimento sindical precisa avançar para garantir mudanças significativas que atendam a realidade do mercado de trabalho.

“Temos que renovar a luta, buscar uma forma de fazer o sindicalismo que atenda a atual realidade. Por isso, a Campanha Salarial tem que propor coisas novas para a categoria, para a classe trabalhadora e para a indústria, temos que avançar”, afirmou.

O sindicalista completou que é fundamental mobilizar a base para que as negociações com as bancadas patronais cheguem em resultados satisfatórios para a categoria.

“Somente a luta institucional não resolve. Precisamos que as conquistas sejam atingidas a partir da base, com organização da base. Conquistar as Convenções Coletivas de Trabalho é uma parte importante desse processo para garantia de importantes direitos e a construção disso tem que ser na base”, enfatizou Erick.

Presenças importantes

A Plenária contou, ainda, com importantes presenças em Matão. O secretário-geral da CUT-SP, Daniel Bispo Calazans, o prefeito de Matão, Cido Ferrari (PT), e o deputado federal Vicentinho participaram da atividade.

O deputado Vicentinho destacou que a redução de jornada é um tema urgente para a classe trabalhadora e precisa de empenho do movimento sindical para que haja avanços.

“Sempre digo que é mais fácil conquistar aumento salarial do que reduzir a jornada de trabalho. Nossa luta nesse sentido não é de hoje e precisamos pensar em caminhos para avançar. A jornada reduzida já é uma realidade em muitos países e nada mais justo que chegue aos trabalhadores brasileiros. Jornada reduzida significa mais empregos e mais qualidade de vida para a classe trabalhadora, por isso temos que seguirmos firmes nesta batalha”, enfatizou o parlamentar.

Calazans enfatizou que a luta precisa continuar sempre porque as forças contrárias aos direitos continuam atuando em todo Brasil. “O risco de ruptura com a democracia foi real e, por isso, não podemos deixar enfrentar essas forças todos os dias. As dificuldades nesse sentido acontecem em todo mundo e ainda temos as fakes news que desmobilizam os trabalhadores do verdadeiro foco da luta que são os direitos. Temos que estar atentos e seguir vigilantes”.

Cido parabenizou a organização do evento e lembrou da importância da luta pela classe trabalhadora, especial pela redução de jornada, um dos principais mote da Campanha Salarial 2024 dos metalúrgicos.

Redução de jornada 

Um dos principais eixos das negociações da Campanha Salarial 2024 será a redução da jornada sem a redução de salários. Os metalúrgicos da FEM-CUT/SP realizam um ato em defesa do tema durante a Plenária Estadual. 

Max Pinho, secretário-geral da entidade, apontou a importância de debater o tema em benefício dos trabalhadores e trabalhadoras. 

“Os metalúrgicos da FEM-CUT/SP apoiam a criação da frente parlamentar em defesa da redução de jornada sem a redução de salários. Esse tema é de fundamental importância para garantir mais qualidade de vida para a classe trabalhadora e também tem o objetivo de ampliar os empregos em todos os setores. Essa luta é urgente e os metalúrgicos têm o compromisso de avançar nas negociações”.