MENU

Indústria 4.0: Biodiversidade pode garantir futuro da indústria brasileira

Última matéria da série sobre Indústria 4.0 fala do potencial que o país tem para liderar economia verde no mundo

Publicado: 15 Fevereiro, 2023 - 08h00 | Última modificação: 14 Fevereiro, 2023 - 19h54

Escrito por: Redação CNM/CUT

notice

Apesar do Brasil estar atrasado com relação a outros países na corrida da Indústria 4.0 e ainda ter muitos problemas para alcançar um patamar tecnológico mínimo que garanta competitividade a seu parque industrial, o país possui qualidades que podem o colocar na dianteira em uma das tendências econômicas do momento e que também aponta para um avanço tecnológico futuro na linha histórica da indústria: a biodiversidade.

O potencial do país é enorme em áreas como a produção de energia renovável e limpa (eólica, solar, biodiesel). Depois de uma catastrófica gestão do meio ambiente no governo federal anterior, o novo governo Lula assumiu compromissos firmes de preservação ambiental em vista de reduzir o aquecimento global, reduzir a emissão de carbono, realizar uma transição justa de matriz energética e preservar os povos originários que cuidam da natureza. Todas essas ações colocaram o Brasil no centro do mapa mundial da preservação ambiental e abrem oportunidades gigantescas para a indústria.

“Não há a menor dúvida que o Brasil conseguiria avançar muito na sua indústria, em especial agora em que há uma mudança de paradigma econômico no mundo. Ou seja, a descrição da indústria passa por uma questão de sustentação ambiental, mudança da matriz de carbono, e o Brasil tem possibilidades bastante grandes nisso”, explica Fausto Augusto Junior, diretor-técnico do Dieese.

O diretor técnico do Dieese acredita que estamos no limiar de uma nova revolução industrial, que passa pela economia verde, mas que o Brasil precisa também continuar investindo em tecnologia e digitalização de processos, para não perder o rumo da Indústria 4.0. “O país pode recuperar parte do seu protagonismo no mundo, mas para isso precisa fazer investimentos em ciência e tecnologia, apoio às empresas, educação profissional, ou seja, uma pauta bastante extensa para que de alguma forma o Brasil volte a ter esse impacto”, complementa.

Sociedade não avançará sem indústria forte

Recuperar o protagonismo da indústria brasileira é fundamental para que o país possa se desenvolver plenamente. Além das discussões sobre tecnologia e preservação ambiental, a indústria também faz parte da construção de uma sociedade de bem-estar social, onde os trabalhadores terão direito a empregos melhores, salários maiores, enfim, condições de vida melhores. Uma sociedade 4.0, com meio ambiente preservado e justiça social.

“A indústria forte, com emprego de alta capacidade, tecnologicamente avançada, e com profissionais de alto nível, faz com que haja distribuição real de renda”, pontua o presidente da CNM/CUT, Paulo Cayres. 

Segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a indústria brasileira foi responsável, em 2021, por 22,2% de todo o Produto Interno Bruto (PIB) e por 71,8% das exportações do país de bens e serviços. Um total de 10,3 milhões de trabalhadores estão empregados na indústria.