MENU

Trabalhadores na Toyota aprovam proposta de PDV e condições de transferência

Também foi aprovado o pagamento de um bônus de permanência a todos os trabalhadores que continuarem na planta de São Bernardo até novembro de 2023

Publicado: 06 Junho, 2022 - 08h30 | Última modificação: 06 Junho, 2022 - 10h08

Escrito por: SMABC

Adonis Guerra/ SMABC
notice

Os trabalhadores na Toyota, em São Bernardo do Campo, aprovaram a proposta negociada entre o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC) e a empresa para transferência dos trabalhadores que optarem por ir para outra unidade da montadora. Além disso, a categoria também aprovou o Plano de Demissão Voluntária (PDV) para os metalúrgicos que escolherem sair da empresa, em função da decisão de fechamento da unidade, anunciado pela montadora em 5 de abril deste ano e reiterado na última semana.

Toyota confirma fechamento da fábrica de São Bernardo, depois de 60 anos

Para os trabalhadores que decidirem pela saída da empresa, o PDV tem como base:

- 35 salários fixos com o acréscimo de mais um salário por ano trabalhado (considerando a data da saída),

12 meses de assistência médica; e,

- disponibilização de cursos profissionalizantes do SENAI e SENAC.

Os trabalhadores que optarem pela transferência, receberão:

- 2 salários nominais (já no ato da transferência),

- mais 2,4 salários nominais no caso de mudança de endereço,

- bônus de transferência e estabilidade até novembro de 2026.

Caso o trabalhador opte pelo PDV entre o sexto e sétimo mês de transferência terá direito a 75% do valor que teria sido o PDV inicial. 

Também foi aprovado na assembleia realizada na tarde de sexta-feira (3), o pagamento de um bônus de permanência a todos os trabalhadores que continuarem na planta de São Bernardo até novembro de 2023, período que a empresa já havia anunciado como prazo limite para encerramento das atividades na cidade.

"Infelizmente a fábrica vai fechar, mas conseguimos um acordo que dá tranquilidade para os trabalhadores transferidos e que garante uma condição melhor para os que optarem por sair da fábrica", afirmou o diretor Administrativo do Sindicato, Wellington Messias Damasceno.